NOTÍCIAS

26/07/2014

Quanto custa um Big Mac?

O Brasil tem o quinto Big Mac mais caro do mundo o lanche custa US$5,86 (ou R$13) no país. Muito mais do que os US$1,63 cobrados pelo mesmo produto na Ucrânia. O índice Big Mac, que compara os preços do sanduiche em diversos países,  foi inventado pela revista britânica The Economist, uma das mais importantes publicações  de economia e negócios do mundo, em 1986. Não é preciso, mas ajuda a entender as variações nas taxas de câmbio. O último ranking elaborado pela revista foi divulgado nesta quinta-feira (24).

Nele, o Brasil aparece na quinta posição. Mantém-se no mesmo patamar do último ranking. No ranking de janeiro,o Big Mac brasileiro custava US$5,25 (R$12,40). No topo do ranking estão Noruega (US$ 7,76), Suíça (US$ 6,83), Venezuela (US$ 6,82), e Suécia (US$ 5,95). Na última posição vem a Ucrânia.

O índice se baseia no conceito da Paridade de Poder de Compra. A ideia é a de que as taxas de câmbio deveriam igualar os preços de serviços e produtos iguais vendidos em diferentes partes do mundo, se a moedas tivessem igual poder de compra. Seria o caso, por exemplo, de o Big Mac brasileiro custar o mesmo que os US$4,80 cobrados pelo Big Mac americano – uma vez que são produtos iguais, produzidos localmente. O lanche caro no Brasil significa que o real também está caro, e que US$1 aqui compra menos que nos EUA. Paga-se menos pelo mesmo item na Argentina: lá, a refeição sai por US$4,81. Isso acontece porque o peso está desvalorizado em relação ao dólar. Já o  Big Mac ucraniano é barato em parte por causa dos conflitos internos que o país enfrenta. Significa que, lá, US$1 pode comprar muita coisa – ou pode comprar mais Big Macs que em outros lugares do mundo porque a economia ucraniana vai mal e sua moeda está desvalorizada em relação ao dólar. Pela Época SP.