NOTÍCIAS

24/06/2014

Vinho e queijo, uma dupla de sucesso

Com esse friozinho, boas dicas sobre a famosa dupla “Queijos & Vinhos”.

Os queijos macios e cremosos, como brie e camember vão melhor com vinho brancos por conta da acidez. Um chardonnay mais maduro, especialmente se tiver passagem por madeira, irá potencializar os sabores desses queijos. Se quiser tentar um tinto, prefira os menos tânicos para que a adstringência do vinho não seja realçada pelo queijo. Um merlot brasileiro ou um pinot noir sem passagem por madeira poderão ser boas companhias.

Queijos frescos, como Minas, muçarela de búfala e mascarpone vão bem se acompanhados por brancos menos encorpados, mais ligeiros, como um pinot grigio italiano ou um torrontés argentino.

Passando para os queijos mais potentes, como roquefort, que é “riscado” por um fungo e tem sabor pronunciado, o ideal é um vinho de sobremesa branco, porque o doce irá equilibrar a agressividade e o salgado do queijo. Experimente um colheita tardia da América do Sul e ficará contente com o resultado. Para o Gorgonzola, queijo azul de sabor intenso, também um vinho com sabores adocicados será interessante, como um vinho licoroso brasileiro ou um Porto. Se não quiser experimentar essa combinação de vinho de sobremesa com o Gorgonzola, um Sauvignon Blanc com boa acidez também é indicado.

Harmonizar queijos de massa dura com tintos é mais fácil. O parmesão e o grana padano são queijos mais potentes e picantes. A companhia ideal é um tinto mais encorpado, como um malbec argentino ou um cabernet sauvignon chileno. Esses vinhos mais encorpados também acompanham bem os queijos pecorino, gruyère e gouda.

O grande e perigoso queijo para os vinhos é o provolone, porque o sabor defumado pode deixar essa sensação tão forte na sua boca que os aromas e sabores do vinho não serão percebidos, o que não é ideal numa harmonização.

Por Érika Mesquita / Especialista em vinhos pela Wine & Spirit Education Trust